Assassinando o homicida

Assassinando o homicida

          Por: Bruno Rocha

 

 

Podemos dizer que as expressões assassinar e homicídio são conhecidas por toda a parte, mas claro que isso não passa de uma mera expressão corrente, pois, a compreensão verdadeira dos seus significados cabe apenas aos especialistas, estudantes e pessoas que de um modo geral se interessam pela matéria jurídica. Sob influência da mídia e dos programas televisivos que empregam as expressões para designar a mesma coisa, (tirar a vida de alguém), a população torna-se a maior vítima, passando a utilizá-las desta mesma forma. Apesar de designarem a mesma coisa- a subtração da vida de alguém existe uma pequena particularidade que as torna diferentes. Assassinar,sob a ótica do dicionário técnico jurídico , é entendido como cometer assassínio,que por sua vez é o mesmo que assassinato- tirar voluntariamente ,a vida de uma pessoa.Assim sendo, cometer assassinato  é o mesmo que cometer um homicídio doloso – quando há a intenção de matar.Segundo especialistas, o nome assassino, teria origem no haxixe,com o qual se preparava uma bebida embriagante,usada por membros de uma seita de ismaelitas do Egito,estabelecida na Pérsia e na Síria,cujo chefe era chamado ´´ o velho da montanha ´´, a quem obedeciam cegamente na prática de morticínios.Homicídio, por sua vez, se traduz como sendo a destruição violenta e ilícita de uma pessoa por outra. O crime por sua vez admite várias espécies, dentre os quais poderemos citar: homicídio doloso ou voluntário, culposo (quando não se tem a intenção); feticídio (morte de feto por aborto criminoso); suicídio (auto-eliminação); infanticídio (morte de recém nascido pela mãe, durante ou logo após o parto), dentre outros.

Assim sendo podemos dizer que o assassinato é um espécie de homicídio, o doloso, não se admitindo, portanto o empregue do termo para designar as outras espécies do crime.

publicado por brpalavrassoltas às 16:57